Quem sou eu

Minha foto
é escritor, tradutor, doutor em Filosofia da Educação (USP), professor, palestrante, blogueiro, autor de vários livros sobre leitura, linguagem, escrita criativa, educação, formação docente e estética. Mais informações no site www.perisse.com.br

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

A pertinência de uma terapia literária

É pertinente falarmos em terapia literária?

Terapia vem do grego therapeía, e remete a "previsão", "solicitude", "remédio", "tratamento". São vários aspectos do cuidado consigo mesmo e com o outro. Inclui modos de alimentar-se, de comportar-se, medicação (se necessário) ou intervenções mais enérgicas, como a cirurgia.

No plano da leitura, uma terapia teria essas três dimensões:

1. A dimensão profilática — leitura para prevenir, leitura para adquirir um sistema de convicções, leitura como alimentação saudável, leitura para nos vacinar contra equívocos e desesperos, leitura como atividade equilibradora, leitura como orientação existencial, leitura como autoeducação, autodisciplina, autoconhecimento etc.

2. A dimensão medicativa — leitura para combater anemias existenciais, leitura como desinflamadora de incêndios emocionais, leitura para curar dores anímicas, leitura para curar dores de cabeça (ideias fora do lugar), leitura para combater azias crônicas, leitura na hora da febre, leitura para regular as pressões etc.

3. A dimensão cirúrgica — leitura para arrancar tumores da inteligência, leitura para salvar o coração fragilizado, leitura para transplantar órgãos vitais, leitura para recuperar a visão, etc.

Comecemos, amanhã, a falar de leitura profilática.

Um comentário:

  1. Olá!
    Parabéns pelo blog!
    Estou seguindo o blog e acompanhando a matéria sobre terapia literaria.

    Abraços

    ResponderExcluir